Sexta-feira, 3 de Junho de 2005

...

NUM DESERTO


deserto5kb.jpg


Perdão...


Já não consigo escever mais,


meus olhos já não vêm aquele lindo Oceano,


sinto-me uma criança sem pais,


pois sou um ser humano.


Pensei em momentos e tempos felizes,


fiz planos, edifiquei, mas o muro quebrou-se.


Caminhei por um rude caminho,


mas nada nele encontrei,


bem tentei procurar aquela chave...


Vivo por viver e nada mais posso esperar,


alguns pensam que são mariquisses ou apenas coisas antiquadas,


jamais encontrarei aquela chave,


vive-se por viver, come-se por comer,


enfim, agora exausto, quero ficar sozinho,


neste deserto continuarei a caminhar,


procurando ser feliz e procurar uma nova vida,


que me possa voltar deixar VIVER.


António Soares


03-06-2005

publicado por antoniopiressoares às 13:18
link do post | favorito
|
1 comentário:
De arara a 3 de Junho de 2005 às 14:44
naõ te estás a despedir pois não: ficaria triste...


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
23

24
25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Página de Homenagem póstu...

. Mensagem de Adilia Pires ...

. Homenagem póstuma a Antón...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

.arquivos

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds