Domingo, 6 de Fevereiro de 2005

...

Poema e Eu

bullet2.jpg



O amor entre Mim é Poema,
é um enredo de cinema.


Param diante deste amor,
poema mostra meu interior
e encanta através de mim.


Poema e eu apenas,
uma história num Oceano sem fim.

Sobre as asas de uma ave,
caio no planeta virtual.
Torno-me escravo da rima,
e crio no papel um clima.


Navegam na minha escrita,
toda letra aqui levita,
e é Poema quem me imita.



Imortal sobre seus versos,
vivo entre dois universos.
Compreendo que sou de lua,
um coração que não recua.


Apesar de misterioso,
e orgulhoso...
publico o jeito amoroso,
de um Poema gostoso.


Amor não sofre mudança,
para uma alma cheia de confiança,
pois a liberdade é nossa aliança.

O amor entre nós é eterno,
parece um amor materno.
E no dia em que eu adormecer,
outro Poema irá resplandecer.


António Soares


04-04-2005

publicado por antoniopiressoares às 00:02
link do post | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
23

24
25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Página de Homenagem póstu...

. Mensagem de Adilia Pires ...

. Homenagem póstuma a Antón...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

.arquivos

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds