Sexta-feira, 10 de Dezembro de 2004

...

Mar de Inverno 


TNOndas16.jpg


Quando eu olho para ti
Vejo um mar
Um mar ora agitado, ora calmo
Um mar rebelde
Mas cheio de encanto e de magia
Sem saber para onde corre
Sem saber para onde vai
Um mar de inverno
Tempestuoso
Pintado de azul e branco
Mas um mar onde
Sabe bem navegar
Sem rumo, sem destino
Apenas como um barco á deriva
Que navega, ao sabor das ondas
É como se de outro mundo se tratasse
O mar embala o barco
Envolve-o, possui-o
Para depois o deixar
No porto á espera de uma nova vaga
Uma onda, que o devolva
Outra vez ao mar alto
Para se perder
Para se encontrar
Na imensidão do mundo
Esse mundo que para Nõs
Está tão distante !
E quando o barco se afunda
A esperança é a tábua
Á qual nos agarramos...


António Soares


09-12-2004

publicado por antoniopiressoares às 00:23
link do post | favorito
|
2 comentários:
De pauxana a 12 de Dezembro de 2004 às 11:19
Este poema está lindíssimo!


De andrye a 10 de Dezembro de 2004 às 17:44
Quando amamos e nos deparamos c certo tipo de situações ficamos assim.. como esse teu mar.. mas infelizemnte ha pessoas q n dao valor as q deviam.. beijokas adorei este poema!!


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Setembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
23

24
25
26
27
28
29
30


.posts recentes

. Página de Homenagem póstu...

. Mensagem de Adilia Pires ...

. Homenagem póstuma a Antón...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

. ...

.arquivos

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

. Outubro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds